Quinta-feira, Agosto 31, 2006

O Programa Nuclear Iraniano

E o prazo para os iranianos pararem com o seu programa nuclear expirou. Bush, muito preocupado com a "segurança" do mundo, avisou que o Irã vai pagar um "preço alto". Por enquanto serão "sanções econômicas".
O país do aiatolás está seguindo a lógica beligerante do Império da Democracia: arma-se para enfrentar possíveis "guerras preventivas". Não foi assim que a Doutrina Bush especifica? Mas o pior vem agora: se o Irã é "perigoso", os EUA não seriam também?
Por que os EUA podem ter armas nucleares? "Segurança" do planeta? Sinceramente é uma piada.
Só aceita esta desculpa a extrema-direita fascista mundial. O governo mais perigoso do mundo é o dos EUA. Provas? Basta olhar os jornais e veremos os massacres e as barbáries praticadas pelo Farol da Democracia.

Segunda-feira, Agosto 28, 2006

Fidel Castro: biografia a duas vozes

A editora Boitempo está lançando o livro "Fidel Castro: biografia a duas vozes". O diretor do Le Monde Diplomatique, Ignacio Ramonet é o autor e entrevistou Fidel durante 100 horas (entre 2003 e 2005), gerando o livro.
Nele será possível compreender a formação do líder cubano desde a sua infância até as suas aventuras revolucionárias.
O livro custa 66 reais e vale a pena conferir. Para a Direita, certamente é jogar dinheiro fora.

Segunda-feira, Agosto 21, 2006

O Irã copia os EUA

O líder espiritual Ali Khamenei (foto) assegurou que o Irã continuará com o seu programa nuclear. Apesar da gritaria hipócrita do Ocidente, os iranianos estão copiando a postura dos EUA e de Israel.
Por que o Irã não pode ter um programa nuclear? O regime deles é "perigoso"? Mas, o governo Bush também não é perigoso? Por que Israel pode contar um arsenal de armas químicas e bacteriológicas e outros países não podem?
O Irã é xiita? Os EUA também são comandados por um governo xiita. A diferença é que o xiitismo dos iranianos é espiritual e o norte-americano é materialista. É o dinheiro. Como já salientei em alguns programas de televisão e rádio, o governo Bush está levando o mundo ao perigo nuclear ao assumir uma postura agressora contra as nações do mundo.
Espero que eles não reclamem de um "eixo" Irã-Coréia do Norte-Venezuela-Síria.
Os responsáveis são exclusivamente os EUA.

Quinta-feira, Agosto 10, 2006

Líbano: cinismo ocidental

Israel continua promover a sua chacina contra a população libanesa. O cúmplice da bárbarie, os EUA, assistem impassíveis ao sofrimento da população. Afinal, são "terroristas" e devem padecer como tal.
Exatamente nesta hora, israelenses e norte-americanos se igualam aos "terroristas" que julgam combater.
A ONU não consegue enviar ajuda para a população. Não seria isso um Holocausto? Será que o termo mudou depois de mais 60 anos?
Nada mais civilizado, nada mais capitalista do que a barbárie.
Viva a democracia ocidental. Viva a Sociedade Cristã-Ocidental.

Quarta-feira, Agosto 09, 2006

E Cuba?

Muitos amigos e alunos estão querendo saber como ficará Cuba com a morte de Fidel Castro. Pela lógica, o sistema deve continuar existindo em minha modesta opinião. Fidel preparou a transição há bastante tempo, mais precisamente no início dos anos 90. Uma série de novos quadros foram alçados à liderança.
Ao contrário do Leste Europeu, cujo sistema socialista foi imposto pela URSS, Cuba tem uma história de luta contra os opressores: da Espanha aos EUA. Agora, sem dúvida nenhuma, com a ausência do "líder máximo" o pragmatismo ocupará o seu espaço na ilha. Creio que não ocorrerá uma "restauração capitalista". Talvez um "socialismo com peculariedades cubanas", igual ao chinês no futuro.
O fato é que não devemos analisar Cuba pela ótica norte-americana. As coisas não são tão simples. E tem um detalhe: a URSS acabou e os EUA nunca previram. Mesmo com os seus "sovietólogos" de grande experiência. A CIA? Não serve para nada, é só ver o 11 de Setembro, o Afeganistão e o Iraque.

Terça-feira, Agosto 08, 2006

Uma radiografia do Brasil

Já está nas livrarias o livro do secretário-geral do Itamaraty, o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, "Desafios Brasileiros na Era dos Gigantes" (Editora Contraponto). Como mais de 400 páginas, o livro é uma leitura obrigatória para todo brasileiro que queira compreender porque o Brasil é dessa maneira.
O embaixador é persona non grata entre a extrema-direita representada na imprensa pela Veja, Estadão e O Globo. O seu "defeito" é defender um país mais justo para a população e não defender a primazia do Capital sobre o Social.
É um livro indispensável.

Segunda-feira, Agosto 07, 2006

Quando a democracia é só uma palavra

A carnificina patrocinada por israelenses e norte-americanos, demonstra o que devemos entender como "democracia". Trata-se do acesso indiscriminado às mortes e mutilações impostas à população civil do sul do Líbano.
Isso é a verdadeira Democracia Ocidental.
O sorriso cínico da co-autora das atrocidades, Condoleesa Rice, é emblemático. Eles (os donos do poder, como escreveu Raymundo Faoro) realmente têm que sorrir... e muito. Afinal, não são seus maridos, esposas, filhos e entes queridos que estão sendo mutilados por uma invasão imoral e abjeta.
Como salientei no meu artigo deste mês, Israel ganhou uma licença... Uma Licença para Matar.